Em assembleia realizada ontem à noite, os trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) decidiram permanecer em estado de greve, podendo deliberar pela paralisação total dos serviços a qualquer momento. Segundo o sindicato dos servidores, o Sintect-PE, a mobilização tem o objetivo de promover a distribuição igualitária da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). A empresa teria oferecido R$ 4.400 aos diretores e R$ 800 aos demais funcionários.


“Para quem teve um lucro líquido de 826 milhões poderia separar 220 milhões sem impactos negativos. Essa proposta da empresa além de ser rebaixada e discriminatória, não atende a reivindicação da categoria”, afirmou Geraldo Rodrigues, membro da comissão permanente Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) e de negociação da PLR representando a CSP-Conlutas.


O secretário de Política e Formação Sindical do Sintect, Edson Pereira, a proposta da entidade é que todos os trabalhadores recebam R$ 2.200 e que o acordo seja revisto anualmente. “Se eles conseguiram lucro, foi graças ao nosso trabalho. Temos que lutar por esse direito”, alertou.    


Jornal do Comercio

Da redação TV SBUNA

Veja também

    None Found

Comente via Facebook

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here