A professora Andreia Lopes da Silva, de 33 anos, relatou com exclusividade a TV SBUNA a agressão que sofreu de uma mãe de uma aluno na última quinta-feira (29/08) em uma escola de São Bento do Una (PE).

De acordo com a professora a mãe do aluno, é Cátia Andréa Oliveira de Lima que é funcionária pública, tem um grau de instrução, e trabalha no PSF da Rua Nova. Seu filho tem 13 anos e acusou a coordenadora de ter gritado com ele no interior da Escola Ester Siqueira de Souza. A professora afirma que apenas fez uma intervenção pedagógica por conta do mal comportamento do aluno. O estudante foi solicitado a se retirar da sala, quando saiu gritando da escola, após 20 minutos a mãe veio com o adolescente que não esperou os esclarecimentos necessários sobre o fato ocorrido. A mãe agrediu com empurrões e palavras de baixo calão a coordenadora na frente do filho, ao ser empurrada a professora caiu sobre o birô e ficou toda machucada, a agressora ainda saiu nos corredores da escola ameaçando a vítima “Que cobra se mata pisando e esmagando a cabeça “!

Andreia foi encaminhada para fazer exame de corpo de delito. Onde foi constatado a agressão física e psicológica, está passando por dias muito difíceis. Pois ficou muito abalada psicologicamente.

“Estou muitíssimo abalada com essa situação. E os fatos não foram bem esclarecidos. Em nenhum momento quis prejudicar o adolescente, pois minha função é justamente coordenar a parte pedagógica. Sou psicopedagoga e estudei muito para me especializar. Jamais trataria mal uma criança ou adolescente, na verdade somos muitas vezes as únicas pessoas que eles tem.” disse a professora.

Veja também

Comente via Facebook

comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. É bem verdade que muitas vezes todos incorremos no fato de perdermos o controle, por ação e por reação e quase sempre mesmo quem recebe a ação acaba errando tbem, pois quando o outro age “errado” acabamos perdendo o controle. Então tds nós precisamos analisar o lado do outro, sempre. E precisamos também, se fomos os agentes, ao menos depois de passado o fato reavaliar nossa conduta e fazer o que se deve: desculpar-os. Como mãe, graças a Deus, recebi poucas reclamações de meus filhos, mas qdo recebia não dava razão a eles, pelo menos de imediato, e procurava as pessoas certas p conversar. Conhecia bem meus filhos e sabia ao ouvir as partes como realmente era a história. E sempre mostrava a eles que mesmo tendo sido a outra parte que errou, eles depois erraram também, qdo era o caso. Nunca. Nunca os pais devem discutir com professores, polícia e etc na frente dos filhos; mas ensinar-lhes que devem respeitar e, se sentirem que foram injustiçados, falar na hora certa, da maneira certa, para assim não terem problemas com seus filhos no futuro.
    A violência não é o meio de se resolver problemas e, sim, o diálogo.

  2. Faço minha as suas palavras senhor adael,pois violência gera mais violência. O que deveria ter ocorrido seria as duas partes serem ouvidas. Pois não devemos acusar sem termos provas ou visto a questão. Neste caso todos foram prejudicados tanto a professora, a mãe e por sua vez o aluno ainda em formação de conduta do que é certo e do que é errado. Quando se expõem o nome e imagens de pessoas, tem que se pedir autorização para tal. O erro continuou por parte da professora. Sei o quanto é difícil para ambas as partes. E tenho certeza que a mãe agiu no calor da emoção,você leva seu filho para a escola e ele chega em casa e relata agressões por parte da pedagoga,dependendo da pessoa gera coisa bem pior. Faltou diálogo e cabeça fria. Não devemos nunca agir no calor da emoção e sim aguardar sempre o outro dia. Nada como um dia após o outro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here