O pernambucano João Victor Arruda, 17 anos, foi aprovado no primeiro ciclo de seleção para o ingresso 2021 na Harvard University (Estados Unidos), num processo seletivo bastante disputado, que contou com dez mil inscritos de todo o mundo, sendo 747 admitidos. Ele também conquistou uma bolsa de estudos integral e teve apoio do EducationUSA. Aluno do Colégio Militar do Recife, onde concluiu o Ensino Médio, o estudante participou do Programa de Iniciação Científica do Ensino Médio na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em que desenvolveu um estudo na área de células-tronco.

Recifense e morador de Camaragibe, na Região Metropolitana, João Victor participou do ciclo 2018-2019 do Programa de Iniciação Científica do Ensino Médio na UFPE, tendo sido selecionado para essa atividade pelo seu colégio de origem. Nesse período, participou de projeto sobre a elaboração de lâminas para análise de micronúcleo de células-tronco mesenquimais humanas irradiadas.

Junto com alunos de graduação da UFPE, no Campus Recife, o jovem passou por aulas práticas sobre como conduzir os equipamentos laboratoriais, técnicas de proteção individual, procedimentos para retirada de células-tronco de cordão umbilical, confecção de lâminas, além de aulas teóricas. O relatório do projeto foi apresentado no Congresso de Iniciação Científica (Conic) da UFPE 2020, realizado on-line.

“Fazer parte desse programa me fez observar mais de perto como era o processo de trabalhar num laboratório”, afirma João Victor. “Com certeza contou muito para a minha candidatura [para a Harvard University]. Eles valorizam muito essa questão da pesquisa”, diz. “Além de todo o enriquecimento teórico, todas as coisas que eu aprendi que eram coisas avançadas para o meu nível de escolaridade [que era o Ensino Médio, concluído em 2020]”, completa.

Iniciação científica

Sob a orientação da professora Mariana Brayner, do Departamento de Energia Nuclear (DEN) da UFPE, o estudante realizou as atividades no Laboratório de Biofísica, coordenado pelo professor Cláudio Gabriel Rodrigues, do Departamento de Biofísica e Radiobiologia. Segundo a orientadora, João Victor sempre demonstrou muito conhecimento, segurança, maturidade, preparo e determinação durante a iniciação científica, sendo “um ponto fora da curva”.

Para ela, de modo geral, a iniciação científica do Ensino Médio aumenta a bagagem de conhecimentos dos estudantes e promove o crescimento deles como pessoas. “Eu vejo como uma possibilidade de os alunos conhecerem, além da pesquisa científica, a própria universidade. Ela abre a porta para os alunos de iniciação científica de fora da universidade e mostra a realidade do que é a universidade, do que é fazer uma pesquisa, do que é escrever um relatório, do que é apresentar em público”, explica.

Além da iniciação científica na UFPE, João Victor também participou de conferências Modelo das Nações Unidas, na Harvard University, em 2020; teve projeto aceito para a 25ª Assembleia da Juventude da ONU, realizada em Nova York, em 2020; e, no Brasil, foi eleito Jovem Deputado Federal pelo Programa do Parlamento Jovem, também no ano passado.

Futuro

Na Harvard University, João Victor pretende cursar a graduação em Gestão Pública ou Ciência Política. A viagem aos Estados Unidos está prevista para agosto, com aulas a serem iniciadas em setembro. Além da bolsa de 100% da universidade, o estudante terá as passagens pagas pelo EducationUSA, que também prestou assessoria ao longo do processo seletivo para a instituição de ensino norte-americana. O jovem, que aprendeu o idioma inglês sozinho, poderá trabalhar no campus para complementar sua renda no exterior. A formatura está prevista para 2025.

Para quem, como João Victor, tem o sonho de estudar fora do país, o estudante dá a dica. “Primeiro de tudo, você tem que colocar na sua cabeça que é possível e procurar as pessoas e os meios necessários que possam te ajudar nesse processo”, ensina. “Existem muitas assessorias, existem muitas mentorias, muitas pessoas que são dedicadas a ajudar estudantes como eu, de baixa renda, que querem realizar esse sonho”, conta.

No Brasil, apenas João Victor e outros dois estudantes, sendo um de São Paulo e um do Distrito Federal, conquistaram vaga no primeiro ciclo de seleção para o ingresso 2021 na Harvard University.

Veja também

Comente via Facebook

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here