Na próxima sexta-feira (12) acontecerá na Quadra Poliesportiva José Alfredo Cintra no Colégio Cônego João Rodrigues no centro de São Bento do Una (PE) uma audiência pública que irá debater as consequência prevista pela reforma da previdência proposta pelo governo federal. Haverá uma concentração na frente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, onde às 8h da manhã sairá uma passeata percorrendo as principais ruas, indo até a quadra, local onde acontecerá a audiência.

O evento é uma realização do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares (STR), juntamente com o Sindicato do Servidores Públicos Municipais (SISPUM), Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEPE), Movimento Sem Terra (MST), Prefeitura Municipal, FETAPE, CUT e CONTAG.

Os deputados estaduais Doriel Barros (PT) e Aglailson Victor (PSB), os federais Carlos Veras (PT) e João Campos (PSB) e senador Humberto Costa deverão participarem da audiência que também terá a presença de vereadores, secretários e demais autoridades da região.

As proposta e medidas adotadas pelo Governo Jair Bolsonaro será o tema central da audiência, que discutirá a Medida Provisória 871/2019 e a PEC 06/2019.

Dentro das medidas proposta pela reforma está a mudança na aposentadoria rural que hoje é um estímulo importante para a economia dos municípios, principalmente do Nordeste. Atualmente muitas famílias depende da aposentadoria rural para sobreviver, caso haja uma mudança no valor e na idade proposta, o comercio e a economia das cidades, principalmente de interior irão sofrer quedas, podendo até ocorrer fechamentos de estabelecimento e consequentemente o desemprego, tendo em vista que a medida também prever mudanças em outras classes como da educação e saúde.

Segundo dados do INSS e da Secretaria do Tesouro Nacional, de 2018, os valores da aposentadoria rural especial de trabalhadores/as para os noves estados do Nordeste somam mais de 51 bilhões. Em Pernambuco são mais de R$ 6 bilhões e meio, enquanto o FPE (Fundo de Participação dos Estados) é de aproximadamente R$ 5 bilhões e o FPM (Fundo de Participação dos Municípios) R$ 4 bilhões.

O abastecimento de alimentos também passa por risco, pois boa parte do beneficiários vivem e produzem no campo, pois 70% do que é consumido pela mesa dos brasileiros vem da agricultura familiar. Outro fator que poderá ser notado é o aumento do desemprego, sem o dinheiro circulando na mão das famílias de baixa renda, que é a maioria, causaria corte nos postos de trabalhos espalhados pelo Brasil.

Participe também dessa Audiência Pública pois o futuro de toda população está em jogo, então contribua marcando presença, dando sugestões e levando toda a sua família.

Veja também

Comente via Facebook

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here