A luneta do tempoNaldinho Oliveira
Da TV SBUNA

O longa-metragem “A Luneta do Tempo” do cantor e compositor, natural de São Bento do Una (PE), Alceu Valença recebeu dois Kikitos nas categorias melhor trilha musical e melhor direção de arte no 42º Festival de Cinema de Gramado, no Rio Grande do Sul.

Os troféus conquistados pelo filme foram dedicados ao pai de Alceu, ex-prefeito Décio Valença e ao ex-governador e candidato a presidência, Eduardo Campos, que morreu na última quarta-feira (13) em um acidente aéreo em Santos-SP.

Foram exibidos 44 filmes, entre curtas e longas-metragens, nacionais e estrangeiros, no telão do Palácio dos Festivais durante a mostra competitiva que teve período de oito dias. Pela primeira vez foram concedidos prêmios em dinheiro, além dos kikitos (troféus), no total de R$ 280 mil.

O “A Estrada 47” do cineasta Vicente Ferraz, levou o prêmio de melhor filme, o longa foi gravado na Itália e se passa durante a 2ª Guerra Mundial.

A luneta do tempo Alceu em Gramado 03Já a Luneta do Tempo é um drama musical que utiliza mitos populares da cultura brasileira para narrar uma historia cheia de encontros e desencontros, traições e amores, crimes e castigos. Tendo como pano de fundo o sertão pernambucano.

Os premiados da Luneta, foi o estreante Alceu Valença, que além de escrever, dirigir e atuar, teve sua consagração com a melhor trilha musical do festival. O diretor Moacyr Gramacho conquistou o prêmio de melhor direção de arte com o longa.

Confira os vencedores do 42º Festival de Cinema de Gramado

Longas-metragens brasileiros
Melhor filme: “A Estrada 47”, de Vicente Ferraz (RJ)
Melhor diretor: Marcelo Galvão, por “A Despedida” (SP)
Melhor filme do júri popular: “O Segredo dos Diamantes”, de Helvécio Ratton (MG)
Prêmio especial do júri: Fernanda Montenegro, por “Infância” (RJ)
Prêmio especial do júri: “Os Senhores da Guerra”, de Tabajara Ruas (RS)
Melhor ator: Nelson Xavier, por “A Despedida” (SP)
Melhor atriz: Juliana Paes, por “A Despedida” (SP)
Melhor ator coadjuvente: Paulo Betti, por “Infância” (RJ)
Melhor atriz coadjuvante: Andrea Buzato, por “Os Senhores da Guerra” (RS)
Melhor roteiro: Domingos Oliveira, por “Infância” (RJ)
Melhor fotografia: Eduardo Makino, por “A Despedida” (SP)
Melhor montagem: Tina Saphira, por “Infância” (RJ)
Melhor direção de arte: Moacyr Gramacho, por “A Luneta do Tempo” (PE)
Melhor trilha musical: Alceu Valença, por “A Luneta do Tempo” (PE)
Melhor desenho de som: Branco Neskov, por “A Estrada 47” (RJ)

Longas-metragens latino-americanos
Melhor filme: “El Lugar del Hijo”, de Manuel Nieto (Uruguai)
Melhor diretor: Moisés Sepúlveda, por “Las Analfabetas” (Chile)
Melhor filme júri popular: “Esclavo de Dios” (2013), de Joel Novoa (Venezuela)
Melhor ator: Felipe Dieste, por “El Lugar del Hijo” (Uruguai)
Melhor atriz: Paulina Garcia e Valentina Muhr, por “Las Analfabetas” (Chile)
Melhor roteiro: Manuel Nieto, por “El Lugar del Hijo” (Uruguai)
Melhor fotografia: Arnaldo Rodriguez, por “Las Analfabetas” (Chile)

Curtas-metragens nacionais
Melhor filme: “Se Essa Lua Fosse Minha”, de Larissa Lewandowski (RS)
Melhor diretor: Gustavo Vinagre, por “La Llamada” (SP)
Melhor filme do júri popular: “A Pequena Vendedora de Fósforos”, de Kyoko Yamashita (RS)
Prêmio especial do júri: “O Clube”, de Allan Ribeiro (RJ)
Melhor ator: Guilherme Souza, por “Carranca” (BA)
Melhor atriz: Rafaela Souza, por “Carranca” (BA)
Melhor roteiro: Caio Yossimi, por “O Coração do Príncipe” (SP)
Melhor fotografia: Giovanna Pezzo, por “La Llamada” (SP)
Melhor montagem: Carlos Adriano, por “Sem Título #1: Dance of Leitfossil” (SP)
Melhor direção de arte: Caio Yossimi, por “O Coração do Príncipe” (SP)
Melhor trilha musical: “Sem Título #1: Dance of Leitfossil” (SP)
Melhor desenho de som: Guga Rocha, por “História Natural” (PE)
Prêmio Canal Brasil: “A Pequena Vendedora de Fósforos”, de Kyoko Yamashita (RS)

Prêmio do Júri da Crítica
Melhor longa brasileiro: “Sinfonia da Necrópole”, de Juliana Rojas (SP)
Melhor longa latino-americano: “El Critico”, de Hernán Guerschuny (Argentina)
Melhor curta nacional: “La Llamada”, de Gustavo Vinagre (SP)

Prêmio Dom Quixote
“Las Analfabetas”, de Moisés Sepúlveda (Chile)

Veja também

Comente via Facebook

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here